Tour Belo Horizonte – Rio de Janeiro

4º dia de Viagem: Tiradentes – Rio de Janeiro (345km)

Nunca passei tanto perrengue para encontrar um hotel como em Tiradentes. Nos hospedamos na Pousada Villa Allegra (R$250 quarto single), localizada no bairro Parque das Abelhas. Os dois gps que eu tinha instalados na moto não encontraram o endereço, paramos então para pedir informação, mas foi aí que veio a surpresa: ninguém sabia informar onde ficava o tal bairro. As ruas estreitas com calçamento de pedra nos conduziam por entre casas no melhor estilo colonial e igrejas barrocas enquanto pedíamos informações para um, dois, três, quatro, e nada…

Tiradentes Minas Gerais

Como já tínhamos nossas reservas pagas, não poderíamos simplesmente desistir e procurar outra pousada. Continuamos perguntando, até que um taxista soube nos informar, mais ou menos, em qual direção seguir. Começamos a nos afastar do centro, o paralelepípedo das ruas acabou e, no horizonte, pudemos ver algumas pousadas. Logo nos deparamos com uma placa improvisada com pedaços de madeira indicando várias direções, mas como a Lei de Murphy é implacável, o nome da nossa pousada não estava lá. Continuamos pilotando pelas ruas de terra por cerca de 10 minutos, amparados pelo clima ameno das montanhas e pelo agradável cheiro de natureza que parecia entrar no capacete e não sair mais, até que olho para o lado e – surpresa! – assim como uma miragem no deserto, lá estava a Villa Allegra!

Já acomodados em nossos quartos, combinamos de nos encontrar em 30 minutos, tempo suficiente para desequipar e tomar uma ducha, e irmos ao centro da cidade aproveitar o que nos restava de luz do dia. Embora no mapa nossa pousada estivesse a apenas 1km de distância do centro histórico de Tiradentes, a caminhada parecia longa, tendo em vista o tempo que rodamos com nossas motos para chegar até lá. Sendo assim, optamos por pegar um taxi e, de antemão, combinar com o motorista um horário para nos buscar após o jantar.

Tiradentes

A cidade de Tiradentes foi fundada por volta de 1.702, quando os paulistas descobriram ouro nas encostas da Serra de São José. Foi aqui que, na casa do vigário Toledo, se tramou a Inconfidência Mineira. Com a proclamação da república, a então Vila de São José recebeu o nome de “Cidade e Município de Tiradentes” em homenagem ao herói nacional. Famosa pela riqueza histórica e cultural, em 1.938 Tiradentes teve o seu conjunto arquitetônico tombado pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN).

Uma rápida volta caminhando pela praça e logo anoiteceu. Infelizmente nos deparamos com igrejas, museus e outras atrações fechadas devido ao horário, agora terei que voltar a Tiradentes (olha que pena…) para explorar melhor a cidade. Fizemos um rápido lanche e logo retornamos para a nossa pousada com planos de sair cedo no dia seguinte a fim de chegar no Rio antes do almoço e fazer um rápido city tour.

Rio de Janeiro

Acordamos cedo e as 7h30 já estávamos rodando. Meus parceiros de estrada estavam desanimados com esse trecho Tiradentes – Rio pois eu falei que, diferentemente dos outros dias de viagem, iríamos pilotar em uma autoestrada, e não em pequenas estradas que cortam as montanhas de Minas.

Quem mora no Rio já conhece muito bem a BR-040, um verdadeiro parque de diversões para nós motociclistas. Após pouco mais de 150km rodando, chegamos a Juiz de Fora, onde estava programada a nossa parada para abastecimento e segunda parcela do café da manhã (temos que aproveitar o pão de queijo mineiro, certo?). Foi nessa parada que pude ver o enorme sorriso que o capacete do Tom e do Max estava escondendo. Quando eu disse que pilotaríamos em uma autoestrada, eles, como bons alemães, pensaram que iríamos rodar por uma Autobahn da vida, e não por um sobe e desce de montanhas com curvas de alta velocidade, asfalto liso e paisagens de tirar o fôlego.

Com a estrada vazia, sol e céu azul, em menos de 3 horas já havíamos chegado à Cidade Maravilhosa. Recepcionados pelo Cristo Redentor com os braços abertos, tocamos nossas motos para a Estrada das Paineiras. Pilotar pelo Parque Nacional da Tijuca, especialmente pela Paineiras, é uma experiência indescritível. E pensar que muitos cariocas não conhecem esse pedaço do paraíso, localizado a poucos minutos das principais praias do Rio. Com uma parada na Vista Chinesa e na Mesa do Imperador para curtir a paisagem, logo o clima de despedida tomou conta do ambiente.

Foram 4 dias de viagem e quase 700km rodados pelas estradas mineiras. Cidades históricas, serras e parques estaduais, museus e igrejas, cada detalhe escondido nesse mar de montanhas de Minas Gerais fez dessa viagem mais do que uma trip entre amigos, e sim uma experiência para a vida. Tom e Max, nos vemos na Alemanha!

Assinatura

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s